Verdade e sua relação com a realidade

Verdade e sua relação com a realidade

O que é a verdade e qual a sua relação com a realidade?
É o abstrato? O inconsciente? O absoluto? A dignidade? A indignação? A tolerância ou a intolerância? A mentira necessária? O que há para que possamos definir a verdade? Deus ou a capacidade inata de raciocínio atribuída aos homens por ele? Deparar-se com a dura realidade do nosso dia a dia e acreditar que dias melhores virão? Dúvidas? Sim, acreditar gera dúvidas. Então como definir algo tão complexo? Ao longo da história da humanidade observamos que “donos da verdade tentaram impor a outros povos o melhor para viver, crer e vencer”. Será a Lei da Evolução uma verdade? Será a morte um final absoluto, redentor e verdadeiro? Poderia encerrar este breve texto agora, deterministicamente ao afirmar: a verdade está unicamente em cada um de nós, na fé e na lapidação interior de nossa joia mais preciosa, nosso eu, nossa individualidade. Mas a individualidade não é composta de vida e de morte, alegrias e tristezas, tolerância e intolerância? Esta dualidade nos leva de volta à estrada do questionamento: a verdade pode ter dois sentidos? Pode ser única para dois seres humanos, racionais e tolerantes? Dificilmente. O que é a verdade para governantes e governados? É o que um dá e o outro espera receber? É um conjunto de favorecimentos ou benefícios?
A verdade é um momento. Para quem quer seja, esteja onde estiver, bem ou mal, poderá ser para este ou aquele, aquilo que o satisfaz. Aquilo que queria ouvir ou alcançar, ou conquistar. A virtude é a verdade? Basta em si para ser única? Acredito que sim, e que a verdade esta contida em cada um de nós, de forma distinta, tão simples e tão fácil de ser encontrada, o que a torna tão indefinível e longínqua. Para a nossa realidade material, nosso dia a dia em constante evolução, informações transbordando, resta o equilíbrio, a capacidade de discernimento, o bom senso e a convivência em harmonia.
Genaldo Luis Sievert



Comentários

  1. GE, adorei o post. Vivamos nossas verdades, mas vivamos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário. Um abraço do amigo.

      Excluir

Postar um comentário